Monday, February 28, 2005

77th Annual Academy Award's



Winners List:

Num ano em que as actuações musicais foram más, algumas chegando a roçar o ridículo, foram premiados:

MUSIC (SCORE)
FINDING NEVERLAND
Jan A.P. Kaczmarek

MUSIC (SONG)
THE MOTORCYCLE DIARIES
"Al Otro Lado Del Río"
Music and Lyric by Jorg

Destaque aqui para a forma brilhante como Jorge Drexler agradeceu o seu prémio, limitando-se a cantar o refrão do tema, isto depois de ter sido obrigado a ver António Banderas quase assassinar o seu trabalho, ao interpretar juntamente com Carlos Santana uma versão horripilante de «Al Outro Lado Del Río».

SOUND EDITING
THE INCREDIBLES
Michael Silvers and Randy Thom

SOUND MIXING
RAY
Scott Millan, Greg Orloff, Bob Beemer and Steve Cantamessa

Outros destaques:

ACTOR IN A LEADING ROLE
Jamie Foxx
RAY

ACTOR IN A SUPPORTING ROLE
Morgan Freeman
MILLION DOLLAR BABY

ACTRESS IN A LEADING ROLE
Hilary Swank
MILLION DOLLAR BABY

ACTRESS IN A SUPPORTING ROLE
Cate Blanchett
THE AVIATOR

DIRECTING
MILLION DOLLAR BABY
Clint Eastwood

BEST PICTURE
MILLION DOLLAR BABY
Clint Eastwood, Albert S. Ruddy and Tom Rosenberg

And last but not least, grande destaque para MAR ADENTRO - «The Sea Inside», que foi justamente premiado com o oscar para o Melhor Filme Estrangeiro.
Ficou apenas a faltar o reconhecimento da Academia ao brilhante trabalho de Javier Bardem que, deveria ter merecido uma nomeação para o prémio de Melhor Actor Principal, particularmente num ano em que Catalina Sandino Moreno foi nomeada para Melhor Actriz Principal, pela sua prestação em Maria Cheia de Graça.

Diga-se apenas que esta foi a 19ª nomeação para o cinema espanhol, já vencedor anteriormente em três ocasiões: «Volver a empezar» (1982), «Belle Epoque» (1993) e «Todo sobre mi madre» (1999). É caso para, infelizmente, dizer...uma realidade tão longe...aqui tão perto.


Sunday, February 27, 2005

The Bee Queen



The Beekeeper - Tori Amos


Mais uma vez, Tori Amos surpreende pela positiva, neste seu 8º álbum de originais. A cantora apresenta-se em «The Beekeeper» mais segura que nunca, sentindo-se a cada interpretação a segurança e consistência, de uma voz cada vez mais em estado de plena maturação.

Naquele que será provavelmente o seu disco mais conceptual, Tori Amos decidiu criar um mundo fantástico, ao estilo de Alice no País das Maravilhas, mas onde cabem músicas obscuras e sentimentos difusos, centrado na apicultura e no maravilhoso trabalho das engenhosas abelhas.

As dezanove faixas do álbum, foram divididas em seis grupos, a que Tori apelidou de «gardens», sendo que cada um dos grupos de canções representa um dos seis lados que compõem uma célula de colmeia.

Este é, claramente, em termos musicais um dos melhores álbuns da carreira de Tori Amos. Num alinhamento brilhante, onde pontificam diversas pérolas, destacam-se temas como: «Sleeps with Butterflies»; «Cars and Guitars»; «The Power of Orange Knickers» (com Damien Rice); «Martha’s Foolish Ginger»; «Witness»; «Goodbye Pisces»; «Toast» e «The Beekeeper».

Para ficar a conhecer alguns dos temas deste trabalho, bem como, para ficar a saber mais sobre cada uma das músicas e o seu enquadramento nesta obra conceptual, deverá percorrer tranquilamente os caminhos apresentados no site oficial.

Tuesday, February 22, 2005

The Smooth Sounds Of...



Nashville - Josh Rouse


Depois do reconhecimento obtido com «1972», Josh Rouse, um dos novos ícones entre os songwriters americanos, apresenta o seu novo álbum de originais, intitulado «Nashville».

Diga-se desde já que é difícil Josh Rouse fazer maus discos, e, portanto naturalmente, este «Nashville» é um disco bastante consistente. Embora, esteja provavelmente mais perto do seu álbum «Home», do que propriamente do encanto pop-soul dos 70' apresentados em «1972». Naturalmente, era muitíssimo complicado conseguir fazer um disco melhor que «1972», e como tal, este «Nashville» sofre as consequências de uma comparação impossível.

São dez os temas que compõem este novo trabalho de Rouse. São canções completas, com refrões expressivos, com aura de canção-perfeição. De destacar são, para além de uma das melhores canções pop do ano - «It’s The Nightime», temas como: «Streetlight»; «Winter in the hamptons»(video); «Caroliña»; «Saturday»; «Sad Eyes» e «Why Won’t You Tell Me What».

É, portanto, um disco que vale bem a pena ouvir, isto apesar de não ser um novo «1972».

Saturday, February 19, 2005

Sair com Qualidade...

Ainda bem que...

Image Hosted by ImageShack.us

Aconteceu - Ana Moura


Mais uma excelente prova de que o Fado está vivo e bem vivo tem sido a carreira de Ana Moura. Esta jovem fadista, seguindo os caminhos percorridos por nomes como Cristina Branco e Katia Guerreiro, tem desde que lançou em 2003 o seu primeiro álbum - «Guarda-me a Vida na Mão» recebido rasgados elogios da crítica portuguesa e, especialmente, da crítica internacional.

O seu 2º álbum - «Aconteceu», tem vindo a ser recebido com redobrado entusiasmo especialmente na Europa (Holanda, Itália e França), mas também nos EUA com, inclusivamente, concerto marcado para o reputado Carnegie Hall de New York no dia 12 de Março de 2005.

Certamente que terá nesse dia ocasião de mostrar ao vivo este seu novo trabalho, que é um álbum duplo. Num trabalho muito pessoal e com um título que pretende conceitualizar a visão de Ana Moura sobre a sua descoberta do Fado e a rápida e fulgurante evolução da sua carreira, a Fadista optou por criar dois álbuns distintos.

Enquanto que no primeiro dos álbuns - «À Porta do Fado», Ana Moura interpreta com mestria Fados Clássicos. No segundo - «Dentro de Casa» é o Fado Tradicional que toma lugar. Num trabalho muito marcado pela produção de Jorge Fernando, há ainda colaborações interessantes e inesperadas como é o caso de Tiago Bettencourt dos Toranja, João Pedro Pais, Miguel Guedes dos Blind Zero tendo todos eles escrito letras para este trabalho de Fado.

Alinhamento:

CD1 - À PORTA DO FADO

01 Por Um Dia
02 Ao Poeta Perguntei
03 O Que Foi Que Aconteceu
04 Ouvi Dizer Que Me Esqueceste
05 Fado De Pessoa
06 Amor De Uma Noite
07 Eu Quero
08 Bailinho À Portuguesa
09 Creio
10 Através Do Meu Coração

CD2 - DENTRO DE CASA

01 Como O Tempo Corre
02 Hoje Tudo Me Entristece
03 Passos Na Rua
04 Mouraria
05 Fado Menor
06 Dentro Da Tempestade
07 Cumplicidade
08 Ó Meu Amigo João
09 Venho Falar Dos Meus Medos
10 Nada Que Devas Saber

Monday, February 14, 2005

47th Annual Grammy Awards Winners List



Lista completa dos premiados.

Alguns dos destaques:

Record Of The Year
Here We Go Again
Ray Charles & Norah Jones

Album Of The Year
Genius Loves Company
Ray Charles & Various Artists

Song Of The Year
Daughters
John Mayer, songwriter

Best New Artist
Maroon5

Best Pop Vocal Album
Genius Loves Company
Ray Charles & Various Artists

Best Rock Song
Vertigo (U2)

Best Rock Album
American Idiot
Green Day

Best Alternative Music Album
A Ghost Is Born
Wilco

Best R&B Album
The Diary Of Alicia Keys
Alicia Keys

Best Rap Album
The College Dropout
Kanye West

Best Country Album
Van Lear Rose
Loretta Lynn

Best Contemporary Jazz Album
Unspeakable
Bill Frisell

Best Compilation Soundtrack Album For A Motion Picture
Garden State
Various Artists - Zach Braff, compilation producer

Best Short Form Music Video
Vertigo
U2

Saturday, February 12, 2005

Back On Track



Knuckle Down - Ani DiFranco


Depois de dois trabalhos - «Evolve» e «Educated Guess» - que apesar de serem bons álbuns, não chegaram a entusiasmar fortemente a crítica, surge agora o novo trabalho de Ani DiFranco.

Knuckle Down é o retorno aos grandes momentos, sendo provavelmente um trabalho ao nível de «Puddle Dive» ou «Righteous Babe». Neste novo trabalho, co-produzido por Joe Henry, Ani DiFranco volta a escrever, verdadeiramente, canções carregadas de sentimentos, que traduzem de forma crua mas bela, o turbilhão de emoções pelos quais Ani passou nos últimos tempos, nomeadamente a morte e o divórcio.

São 12 novas canções de onde se destacam: «Knuckle Down»; «Studying Stones»; «Recoil»; «Lag Time»; «Parameters» e «Paradigm».

Tuesday, February 08, 2005

E porque hoje é carnaval...



The Way Up - Pat Metheny Group


Este novo trabalho de Pat Metheny, que conta já com mais de 25 anos de carreira, é um single de 68 minutos (divididos em três partes) composto por Metheny em colaboração com o teclista Lyle Mays, Steve Rodby (baixo), António Sanchez (baterista), Coung Vu (trompetista) e Gregoire Maret (harmónica).

Este disco contêm elementos dos mais aclamados trabalhos de Metheny, como «Question and Answer», «Offramp», «We Live Here», «Zero Tolerance for Silence» e «Secret Story».

Basicamente, uma grande peça de Jazz, onde a improvisação e o virtuosismo de grandes músicos, transforma 68 minutos de música num documento extraordinário, com a capacidade para poder ser a banda sonora de uma vida.

A qualidade vem sempre ao de cima...



Careless Love - Madeleine Peyroux


Depois do grande sucesso que foi «Dreamland», Madeleine Peyroux que por condicionalismos e particularidades da indústria discográfica, esteve oito anos ausente do grande público, lançou no final de 2004 o seu 2º álbum, que, mais uma vez, recolheu inúmeros elogios da crítica, para além de ter voltado a ser exaustivamente debatida a questão de saber se Madeleine é ou não a nova Billy Holiday.

Esta jovem americana, que um dia descobriu nas ruas de Paris, a sua extraordinária voz e que começou a actuar com grupos de rua do Latin Quarter, como os Riverboat Shufflers e os The Lost Wandering Blues and Jazz Band, demonstra uma maturidade vocal impressionante que já havia surpreendido tudo e todos quando em 1996 em interpretou com mestria grandes nomes do Jazz Americano.

Em «Careless Love», Madeleine apresenta um álbum Jazzístico, onde conjuga, com brilhantismo, a sua extraordinária voz com uma irrepreensível escolha do repertório, que só não o torna um álbum perfeito por, ao contrário de «Dreamland», neste trabalho apenas existir um tema original. São estas as 12 faixas que compõem este trabalho:

1 - «Dance Me To The End Of Love» - Leonard Cohen
2 - «Don’t Wait Too Long» - Madeleine Peyroux/Jesse Harris
3 - «Don’t Cry Baby» - Bessie Smith
4 - «You’re Gonna Make Me Lonesome When You Go» - Bob Dylan
5 - «Between the Bars» - Elliott Smith
6 -
«No More» - Billie Holiday
7 -
«Lonesome Road» - Frank Sinatra
8 - «J’ai Deux Amours» - Joséphine Baker
9 -
«Weary Blues» - Hank Williams
10 -
«I’ll Look Around» - Billie Holiday
11 -
«Careless Love» - Bessie Smith/W.C. Handy
12 -
«This is Heaven to Me» - Billie Holiday

Sunday, February 06, 2005

Ilusões Paralelas...



Illusioni Parallele - Tiromancino


Assumindo neste momento um lugar de destaque na música italiana, os Tiromancino são um interessante banda italiana, que consegue conjugar de uma forma inovadora a ancestral tradição da canção italiana, com a utilização da electrónica. Produzem um som bastante actual, absorvendo influências que passam pelo Hip-Hop, pelo Pop, passando pela canção tradicional italiana, tudo capsulado numa envolvente atmosféra eclectrónica.

Este projecto liderado, quase exclusivamente, por Federico Zampaglione, teve já oportunidade de passar por Portugal, pois foi a banda convidada pelos Morcheeba para fazer a 1ª parte do seu concerto.

Num álbum composto por 12 excelentes faixas, destaque para: «Pericle Il Nero»; «Felicita'»; «La Terra Vista Dalla Luna»; «Amore Impossibile» (video); «Apro Gli Occhi» e «Imparare Dal Vento» (video brihante).

«Un uomo crede di essere nel giusto e si sente più sicuro
Un altro invece sa che sta sbagliando ma segue il suo cammino

Tra i due non c’è nessun contatto ma un unico destino
Dividere ogni giorno l’esperienza di Illusioni parallele.»