Wednesday, September 29, 2004

O Saudável Louco está de volta...


Real Gone - Tom Waits


Mais um álbum conceptual, recheado de momentos soturnos e esquizofrénicos. Tom Waits volta a utilizar a forma de sucesso de Alice e Blood Money. São 15 temas(mais uma faixa escondida), mas poderiam ser muitos mais, a fórmula é antiga, mas, não restam dúvidas de que continua a ser Waits, reconhecivel aos primeiros acordes de cada faixa.

O álbum começa com um «Top of the hill» carregado de influências funk-pop-jazz e termina com uma espécie de rap punk. Pelo meio, encontramos grandes temas como «How's it gonna end»; «Dead and lovely» e «Trampled rose».

Depois encontramos dois temas que marcam indubitavelmente este álbum, porque representam a sua alma, a sua mensagem e o seu verdadeiro propósito, são elas:
«Sins of My Father», com mais de 10 minutos de duração em que Tom Waits parece entrar num carrosel de uma qualquer feira que acabou de chegar a um lugar sombrio, cheio de mistério e crime, onde a figura de um pai pecador atormenta a mente deste ser estranho.
«Day After Tomorrow», um tema a fazer lembrar o grande Johnny Cash, num misto de country-folk, com uma clara mensagem política, carregada de uma enorme lucidez e simplicidade, escrita do ponto de vista de um jovem soldado de 21 anos ansioso por regressar a casa vindo do além mar:

«I'm not fighting for justice...I'm not fighting for freedom, I'm fighting for my life...and another day in the world here»

Fado Pós-Amália


Sensus - Cristina Branco




Fado Maior - Katia Guerreiro



Duas das maiores artistas da nova geração do Fado. Cada uma no seu registo, uma Katia Guerreiro muito marcadamente numa linha amaliana e uma Cristina Branco num registo mais ecléctico, onde se sentem aqui e ali, algumas infuências de ambientes fora do tradicional meio fadista. Tal como é por exemplo o caso da sua magnífica interpretação do clássico de Chico Buarque - «O Meu Amor» (3ª faixa do álbum).

Talvez o aspecto mais curioso e que provocará naturalmente algumas reflexões é o de analisar os motivos pelos quais, estas novas vozes do fado, apesar de já terem, especialmente no caso da Cristina Branco, uma carreira consolidada e com vários álbuns no mercado, eram até há muito pouco tempo verdadeiras desconhecidas em Portugal.

Alías, a Cristina Branco passa mesmo quase toda a sua vida fora de Portugal, tendo uma carreira reconhecida em países como França, Belgica e Holanda. Também a Katia Guerreiro, desde a sua internacionalização, passou a ser reconhecida como um novo valor do Fado por essa europa fora.

Será Portugal, ainda demasiado preconceituoso relativamente ao Fado e às suas conotações políticas e sociais, ou não haverá em Portugal espaço e inteligência suficiente para promover e aplaudir quem demonstra ter um pouco mais de qualidade do que a mediania que vai percorrendo os espaços de divulgação cultural, aqui, com particular destaque negativo para a TV portuguesa.

Por incrível que pareça é mais fácil ver um documentário sobre a Katia ou a Cristina no Mezzo do que em qualquer canal de televisão português. Lamentável.

Monday, September 27, 2004

Oporto Wine


Around The Sun - R.E.M.


Os R.E.M. estão de volta com um brilhante álbum, num claro regresso aos melhores tempos do Automatic for the People.


Um grande álbum com edição prevista para o próximo dia 4 de Outubro. Num álbum recheado de possíveis singles, destacam-se entre outras, músicas como: «Electron Blue», «Final Straw», «Aftermath» e «Around the Sun».

Thursday, September 23, 2004

Acima da Política...Sempre a Arte!


Silvio Rodriguez



Um dos maiores nomes da Nueva Trova Cubana, construiu, ao longo de mais de 40 anos, juntamente com Pablo Milanés uma carreira recheada de grandes álbums.

Não questionado o facto de ser claramente um artista de intervenção, tendo mesmo em alguns momentos feito parte do governo cubano, o que importa salientar na sua obra é a excelência das suas criações, a beleza das suas melodias, a profusão de sentimentos que resultam da audição das suas composições.

Com mais de 30 álbuns editados em diversos países, tem vindo progressivamente a alargar os seus horizontes musicais, parecendo nos últimos álbuns - Expedicion de 2002 e Cita Con Angeles de 2003, querer introduzir alguns elementos electrónicos, bem como, a gravação em conjunto com uma orquesta, criando uma roupagem mais forte, o que poderá fazer há primeira vista esquecer um pouco a importância das letras.

Mas, o poeta continua bem vivo, e as letras mesmo convivendo agora com muitos outros instrumentos, para além da antiga e fíel companheira voz e guitarra, não perderam a sua beleza e continuam a ser o ponto decisivo que tornam Silvio Rodriguez num artista a caminho do Olímpo.

Um excelente site sobre a sua Obra - Silvio Rodriguez

“Te doy una canción”

Cómo gasto papeles recordándote,
cómo me haces hablar en el silencio,
cómo no te me quitas de las ganas
aunque nadie me vea nunca contigo,
y como pasa el tiempo que, de pronto son años
sin pasar tú por mi, detenida.

Te doy una canción si abro una puerta
y de las sombras sales tú.
Te doy una canción de madrugada,
Cuando más quiero tu luz.

Te doy una canción cuando apareces
el misterio del amor,
y si no lo apareces, no me importa:
yo te doy una canción.

Si miro un poco afuera, me detengo:
la ciudad se derrumba y yo cantando.
La gente que me odia y que me quiere
no me va a perdonar que me distraiga.
Creen que la digo todo, que me juego la vida,
porque no te conocen ni te sienten.

Te doy una canción y hago un discurso
sobre mi derecho a hablar.
Te doy una canción con mis dos manos,
Con las mismas de matar.

Te doy una canción y digo Patria,
Y sigo hablando para ti,
Te doy una canción como un disparo,
como un libro, una palabra, una guerrilla:
como doy el amor.

Oh baby baby it's a wild world



Yusuf Islam/Cat Stevens foi impedido de entrar em território americano por constituir uma possível ameaça terrorista contra o povo americano.

Para mais informações e possíveis conclusões sobre a questão e a posição de Cat Stevens consultar:

CNN
BBC
Site Oficial de Yusuf Islam/Cat Stevens:

Site visitors and fans alike will no doubt have heard about today's news that Yusuf Islam has been refused entry into the US. As yet we have no specific information from the US immigration authorities as to why he was not allowed to enter the country. What we can say, however, is that he will be shocked and angered at being associated with anyone who commits acts of violence. He has vehemently and consistently criticized terrorist acts and has always advocated peace through his songs and his extensive humanitarian relief work. He has travelled many times to the US, most recently two months ago on a visit with his record company. Any suggestion therefore that he poses a security risk due to alleged connections with terrorist activities is totally denied as it is simply wrong. We are seeking further details so that we can challenge the decision to refuse him entry. When we have more information we will be able to comment further. We feel certain that this matter will be resolved soon.


Monday, September 20, 2004

O Fado


Como Sempre...Como Dantes - Camané


Um Álbum duplo que contêm todos os êxitos do Fadista, uma das melhores vozes de sempre do panorama musical português. O trabalho é composto por dois CD´s, um gravado em vários espectáculos de Camané e um segundo gravado na Casa de Fados "O Embuçado" onde Camané iniciou a sua carreira.

Sem dúvida um excelente disco, quer para quem ainda não conhece as pontencialidades da sua voz, quer para quem tem acompanhado a sua brilhante carreira.

Wednesday, September 15, 2004

A Descobrir


La Maison de Mon Rêve - Cocorosie


Depois da sua atribulada passagem pelo festival de Paredes de Coura, importa descobrir quem são e o que representam as Cocorosie.

São duas irmãs norte-americanas, Sierra e Bianca Cassady e com o nome artístico de CocoRosie. O álbum La Maison de Mon Rêve, lançado neste ano, é estranhamente belo e esquizofrénico. As palavras bonitas e melancólicas encontram-se envoltas numa mistura de sons de panelas, máquinas, ruídos imperceptíveis, pássaros a cantar que fazem um conjunto estranhamente harmonioso.

Painkiller


A Ghost is Born - Wilco



A Ghost Is Born, quinto álbum de estúdio dos Wilco de Jeff Tweedy, prossegue na onda do álbum anterior, mas arrisca algumas explorações de territórios ainda inexplorados.

Demonstra também que a criatividade de Jeff Tweedy não tem limites. Perturbantemente presente neste registo está a constante lembrança de que Jeff tem sido dependente de tranquilizantes nos últimos anos.

Este é sem dúvida o álbum mais intimista, mais perturbador, mais pessoal, no qual se assiste a um desenrolar das confusas experiências de Tweedy. O álbum vive de constantes alternâncias de estado de espírito, começando com 3 faixas completamente arrasadoras, com a utilização (inédita) excessiva de distorção de guitarras, com o prolongamento de notas até à exaustão.

Progressivamente, o álbum vai ficando mais calmo, transparecendo a acalmia na mente de Tweedy, com o poder das suas letras a voltar ao de cima.

No entanto, o álbum termina novamente duma forma inesperada, depois de uma faixa capaz de traduzir alguma alegria - «Theologians», o disco termina com «Less Than You Think» prolongando-se a sua última nota por longos dez minutos.

There's so much less
To this than you think


Prémio Carreira


Live at Benaroya Hall - Pearl Jam


Este álbum está longe de ser apenas mais um registo ao vivo dos Pearl Jam. Neste Live at Benaroya Hall somos transportados diversas vezes para o ambiente vivido no Acústico feito para a MTV.

Mas, o ponto forte deste disco, encontra-se no 2º CD onde estão alinhados alguns dos clássicos dos Pearl Jam, mas com uma nova roupagem. De destacar a surpreendente interpretação de Eddie Vedder a solo em «Dead Man», uma versão extremamente inovadora de «Black», as homenagens a Dylan - «Masters of War» e a Johnny Cash - «25 Minutes to Go», bem como, interpretações apaixonadas de «Yellow Ledbetter» e do inevitável «Daughter».

Fica aqui o alinhamento:
LIVE AT BENAROYA HALL, OCT 22ND 2003 PEARL JAM

CD1
01 Of the Girl
02 Low light
03 Thumbing my Way
04 Thin Air
05 Fatal
06 Nothing as it Seems
07 Man of the Hour
08 Immortality
09 Off he Goes
10 Around the Bend
11 I Believe in Miracles
12 Sleight of Hand
13 All or None
14 Lukin

CD2
01 Parting Ways
02 Down
03 Can't Keep
04 Dead Man
05 Masters of War
06 Black
07 Crazy Mary
08 25 minutes To Go
09 Daughter
10 Yellow Ledbetter

Monday, September 13, 2004

Encantamento


The Living Road - Lhasa de Sela


A última nómada...

A perfeição em estado puro, especialmente para quem já a admirava desde 1998 aquando do lançamento do impressionante «La Llorona» e teve oportunidade de estar presente em Julho no concerto do Forum Lisboa.

Fica aqui uma crónica publicada, por alguém presente no memorável concerto, num site que pode ser considerado quase semi-oficial e que ilustra na perfeição o momento único vivido nesse dia:

Sometimes there are good surprises, sometimes there are bad surprises, and sometimes perfect things happen when you know they will happen, like the flowers bloom in spring time. And Lhasa is not certainly just the flower... she is the ground, she is the child of a natural, unknown and kind God, she's 'under him and the sky up above him'... she's so much more than words can express. I have known Lhasa's music for quite some time now, since 1998 wih the release of 'La llorona' and I cannot say that the record changed my life, but I can say that it came when my life was changing, and that, as NIna Nastasia's 'the blackened air' and Anja Garbarek's 'Smiling & Waving' helped me changing along. The musicians and Lhasa came on stange somewhat nervous, and the sound was not so good as one could expect, but Lhasa was calm, confident and so wonderfully expressive that the sound just... calmed down. I think every one in that room was bewitched by her sincerity, her honesty, her voice... and the musicians ( that she so wonderfully presented) were not only amazing at playing, but also as people.
Lhasa was trying to speak in portuguese (not fluent, but she did it) and eaven translated a thought her father told her once ( that eventually gave place to the song 'soon this place will be too small' where he says that death is not the end, but only the beginning... beautiful.
But when she said that she would sing in Portuguese, a portuguese song I wasn't ready to hear 'meu amor (meu limão de amargura)' one of my favourite songs ( sung by portugues fado best known and loved singer Amália Rodrigues) and she changed it from fado to a song so emotional, so different from the original that I started crying... and just raised and cried and applauded her at the end of that song. She said she didn't quite understand the words.. so here it goes, a rough translation of my favourite bit of the song...

Meu amor, meu limão de amargura
Words: José Carlos Ary dos Santos
Music: Alain Oulman

Este mar não tem cura, This ocean has no cure,
Este céu não tem ar, This sky has no air,
Nós parámos o vento, We have stopped the wind,
Não sabemos nadar. We don't know how to swim.
E morremos, morremos And we die, we die
Devagar, devagar... Slowly, slowly...

So, above all, it was one of the best concerts i've ever been to.. as well as one of the most emotional and pure... Lhasa thank you.

(here is the setlist for the concert)

1) Con toda palabra
2) La Marée Haute
3) La frontera
4) J'arrive à la ville (for her grandfather)
5) * a typical song from Chechenia ' an unhappy small country'*
6) Floricanto
7) Small song
8- Anywhere on this road
9) Meu amor ( meu limão de amargura)
10) De cara a la pared
11) La confession
12) El desierto
13) Pa' llegar a tu lado (just agonizing, haunting... perfect!)
14) My name
15) Para el fin del mundo o el ano nuevo
16) La celestina
17) Los peces ( everyone jumping and singing.. all the songs were pretty different from the albuns, but this one got even better eheh)
18- Soon this space will be too small

And that's all from me...
Enjoy Lhasa... and be born again.

The New Strokes?


The Libertines - The Libertines


Apesar de nos últimos tempos terem sido mais falados por causa das aventuras e desventuras de Pete Doherty, ex-guitarrista e vocalista da banda, sobretudo devido aos problemas com a justiça e com as drogas, os The Libertines apresentam-se em grande forma.

Saiu para as lojas no passado dia 30 de Agosto o sucessor de «Up the Bracket», do qual fazem parte 14 novos temas, de onde se destacam, para além do single «Can't Stand Me Now», faixas como «Last Post On The Bugle»; «Music When The Lights Go Out» e «What Katie Did».

Aspecto negativo - apenas 40 minutos de duração.

O álbum «The Libertines» mostra um alinhamento de canções perturbantes, comoventes e verdadeiras.

Sunday, September 12, 2004

A Descobrir


Autour de Lucie - Autor de Lucie


Banda francesa com 10 anos de carreira e com 5 álbums publicados, sendo Autour de Lucie o nome homónimo do seu último álbum.

Autour de Lucie é basicamente sinónimo de Valérie Leulliot, da sua criatividade, da sua voz doce e honesta. Valérie idealizou e conduziu este grupo ao longo dos últimos dez anos. É mesmo o único elemento que se mantém ao longo dos 5 álbums, assistindo-se a constantes alterações na formação que a acompanha e que tem formado este grupo.

Com um enorme sucesso em França, Autour de Lucie poderá ser colocado entre o Indie/Electrónica e o Pop, notando-se de álbum para álbum, diversas influências que Valérie foi absorvendo dos músicos que têm trabalhado com ela.

Embora, o seu melhor álbum seja muito provavelmente «Faux Mouvement», este novo álbum, embora soando um pouco mais a Pop é também uma interessante descoberta.

Mercury Prize 2004 - UK Album of The Year


Franz Ferdinand - Franz Ferdinand


Depois de no ano passado o vencedor do prémio ter sido o surpreendente Dizzee Rascal, este ano foi a vez de reconhecer a importância do disco de estreia dos Franz Ferdinand .



«Pouco para dizer, muito para escutar, tudo para sentir.»

Para todos aqueles que se habituaram a ouvir e a gostar dos programas de autor feitos na rádio portuguesa, aqui fica uma referência obrigatória para o blog do programa Íntima Fracção de Francisco Amaral, que foi "suspenso" da grelha da TSF em Setembro de 2003. Programa este que completa em 2004 vinte anos de existência.

No entanto, tal como é referido pelo autor no seu blog:

A IF não acabou.
Está a cantar baixinho, parada, num caminho escuro à espera da aurora.
A IF não acabou.
A maioria das aves que migram orientam-se pelo sol, mas há espécies que preferem utilizar as estrelas como bússula.
A IF não acabou.
Enquanto procura de novo "a casa", embrulhar-se-á na imensa rede e ficará à espera do download de quem a amar.
A IF não acabou.
Observa bem e sente ! Sente mais do que vês - a escura noite, tornando-se, lentamente, em clara madrugada.
A IF não acabou.
"Há um traço azul no futuro incandescente".



Assim, o autor não desistiu de nos dar boa música tendo ao longo deste período de pausa da IF (no que ao éter diz respeito), produzido 3 «emissões» especiais que se encontram disponíveis para download.
Vale bem a pena conferir!

Obrigatório



Grace 10th Anniversary Legacy Edition - Jeff Buckley


Para lá do mito criado pela sua prematura e trágica morte, Jeff Buckley foi um extraordinário músico, capaz de tornar as suas interpretações verdadeiros momentos únicos. Era um artista com alma, fundamentalmente um grandioso interprete.

Infelizmente, teve o mesmo destino trágico comum a outros génios ficando assim abruptamente interrompida uma curta carreira, tendo nesse curto espaço de tempo produzido apenas um álbum de originais a que deu o nome de Grace.

Dez anos depois da sua publicação, surge agora mais uma vez pela mão da sua mãe - Mary Guibert (grande responsável pela publicação a título póstumo de quase tudo o que o seu filho fez em vida), esta versão especial de aniversário composta por dois CD's e um DVD.

No 1º CD encontramos o álbum original tal como foi produzido em 1994, embora remasterizado.

No 2º CD, sendo este definitivamente o motivo que justifica tal edição, encontramos 13 faixas nunca editadas em disco, da qual fazem parte algumas versões ao vivo.

E no DVD, encontramos todos os videoclips, bem como, entrevistas e actuações ao vivo.

É a edição perfeita para quem ainda não conhece o seu trabalho, embora seja ao mesmo tempo um produto claramente vocacionado para os fans, prevendo-se forçosamente um desejo enorme por parte dos fans de possuírem esta edição de coleccionador.

Contudo, continuará a perdurar de uma forma mais intensa, na mémoria de todos os verdadeiros fans, o arrepiante álbum resultante das gravações no bar Sin-é:

Um obra prima capaz de fazer emocionar qualquer ser humano.


Flashback



Blood Of The Tracks - Bob Dylan

Talvez um dos mais controvertidos álbums de Bob Dylan. Se para alguns este Blood of the tracks lançado em 1975 foi apenas o relançar de uma carreira que andou algo perdida em alguns anos de música tendencialmente country, muito longe do anteriormente produzido, nomeadamente a sua obra prima de 1966 - «Blonde on Blonde». Para outros, este será certamente um dos mais apaixonantes discos da sua carreira.

É um disco carregado de emoção, transbordando sentimentos a cada faixa, onde as letras (provavelmente algumas vezes demasiado melancólicas, mas compreensivas no período pós-divorcio pelo qual Dylan passava) recuperam o papel de destaque que adquiriram nos primeiros registos de Dylan, e que efectivamente, foram decisivos para a sua elevação a mestre.

O disco é composto de 10 faixas, onde se destacam clássicos eternos como "Tangled Up In Blue", "Simple Twist Of Fate" e "You’re a Big Girl Now", entre outras.

Um disco fundamental na obra de Dylan.

Saturday, September 11, 2004

O dia em que o mundo Mudou...

A Descobrir


Home - Chiara Mastroianni & Benjamin Biolay


Porque o amor não tem limites e é capaz de com a sua força arrastar tudo à sua frente, encontramos neste álbum produzido em 2004, uma suave e interessante demonstração do amor latente a cada verso.

Para quem nunca ouviu falar de Benjamin Biolay, importa referir que se transformou em poucos anos num dos mais reputados compositores da música francesa. Do seu casamento com, a até então apenas conhecida actriz - Chiara Mastroianni, nasce este Home, um registo íntimo e universal com músicas melancólicas mas sem cair nos cliches do Indie/Folk.

Este é um projecto que nasceu de um viagem feita pela Holanda, tendo-se transformado num excelente disco de viagem, capaz de se tornar a banda sonora perfeita pelas sinuosas estradas da nossa costa.
A sensualidade da língua francesa levada ao extremo...

O fim do Pop



Medulla - Bjork


Ao quinto álbum de originais uma artista reconhecida em todo o mundo, capaz de vender milhões de discos, tendo-se tornado num novo icon da vanguarda musical foi capaz de resistir há enorme tentação de fazer mais do mesmo, isto é, de repetir a formúla capaz de garantir milhões. E porque é que não o fez? Provavelmente porque a Islandesa Bjork não é um produto dos media. Medulla, é sem sombra de dúvida o seu álbum mais intenso e pessoal. Nele entramos ainda de uma forma mais profunda no seu mundo de ilusões, magia e alucinações. Extremamente inovador, este é o disco de Bjork em que mais é explorada a sua capacidade vocal, alías não foram praticamente utilizados instrumentos! Todas as faixas do álbum são compostas quase exclusivamente por sobreposição e mistura de vozes.

Bjork inspirou-se nos contrastes entre o que de mais belo e o que de mais feio existe no mundo e nas pessoas para compor as suas músicas. Conta neste último trabalho com as colaborações vocais de Mike Patton, ex-Faith No More, Robert Wyatt, Razhel, ex-The Roots, e Mark Bell, para além de um coro Islandês.

Uma obra prima! Alías, mais uma obra prima!

Friday, September 10, 2004

O primeiro é sempre o que custa mais...


Mind, Body, & Soul - Joss Stone

Com edição marcada para o próximo dia 28 de Setembro, o 2º album do novo fenómeno da soul é aguardado com grande expectativa.
Será um album composto por 14 faixas e que terá por título - «Mind, Body, & Soul».

A maior expectativa, prende-se com o facto de 12 das 14 faixas serem escritas individualmente ou em conjunto pela própria Joss Stone. São de destacar as baladas Right To Be Wrong e Jet Lag, ambas escritas em parceria com um dos nomes mais importantes da Soul - Betty Wright.

E, a demonstrar que esta menina para além de ter uma magnifica voz, está rodeada de grandes produtores, podemos encontrar participações de Salaam Remi dos Fugees e de Beth Gibbons dos Portishead.

Porque as modas são a angústia de um povo...


Começa aqui este blog que pretenderá ser apenas uma forma de aprendizagem e de comunicação, tendo como o nome indica, especial atenção ao que se vai fazendo um pouco por todo o mundo no que há música diz respeito.